Carrinho

Autorolhoshot

Início/Artigos publicados por olhoshot (Página 4)

“HAKUNA MATATA” será enredo em 2015

A escola de samba costa de prata, definiu no passado dia 27 de Agosto o enredo para o carnaval 2015. O concurso de maquetas aberto á comunidade, pioneiro na escola, contou com 3 concorrentes, tendo como vencedores Mafalda Alves, Marta Lopes e Ana Sousa.

Este é um tema que marcou a infância da nossa geração e que tocará no coração de todos os foliões

rei_leao006A maquete “Hakuna Matata” tem como base, e inspira-se no filme da Walt Disney de 1994, “O Rei Leão”, que popularizou este lema e filosofia de vida.

A expressão é usada com enorme frequência, com o sentido de “ok ” e/ou “sem problemas”, para responder a perguntas. “Hakuna” significa não há, e “matata” significa problemas.

O ambiente vivido na Escola de Samba Costa de Prata, onde impera a  , vivendo-se em harmonia como uma verdadeira família, despoletou a vontade de realizar e apresentar uma maquete onde o lema “Hakuna Matata” se aplica à nossa escola que aos poucos vai ultrapassando os seus problemas e divergências do passado, convergindo para uma realidade de “Não há Problemas”!

Todos nós sabemos que coisas más acontecem e não podemos fazer nada para as evitar, contudo com inovação, criatividade e diversão a Escola de Samba Costa de Prata é capaz de protagonizar e criar um futuro risonho e sem problemas!

O filme “O Rei Leão” demonstra o “ciclo sem fim”, que cruza na história as experiências de Mufasa com o seu pequeno filho, Simba, isto é, o passar de um testemunho onde tudo se transforma.

O enredo circunscreve-se na savana rodeada das mais diversas espécies e de caracter diferentes.

Continuar a Ler

Concurso de samba enredo 2015

A Escola de Samba Costa de Prata abre pela segunda vez concurso de Samba Enredo a toda comunidade.

Este é sem dúvida um desafi1vencedores samba 2014o, para os nossos compositores, bem como para aqueles que querem ouvir o seu samba na avenida representado pela tão reconhecida Escola de Samba Costa de Prata, que dignificará como sempre o fez, e tão bem o sabe fazer.

A abertura deste concurso à comunidade obrigou a que o grupo de trabalho destacado para o evento, tivesse que o regulamentar de forma imparcial e idónea. Contudo o Autor da música para 2014, não só se orgulhará de ouvir o seu samba, mas também recebe um prémio no valor de 150 € para simbolizar o seu feito.

 

 

Os interessados em concorrer, podem obter a sinopse e o regulamento aqui:
Regulamento do samba enredo 2015    |    Sinopse Carnaval 2015

Continuar a Ler

2014- “Que Seja Doce”

Sinopse

Um enredo que esperemos …

A origem dos doces remonta aos tempos antigos. Já nos baixos-elevos dos primitivos tempos, estavam gravados há mais de 30 séculos no túmulo do egípcio Faraó Ramseires III, uma variedade de doces fabricados com farinha de trigo, mel, frutas e especiarias que serviam de oferenda aos deuses.

Mas o gosto pelos doces, tal e qual como o conhecemos atualmente, começou tardiamente no extremo oriente com a utilização da cana-de-açúcar pelos chineses e indianos. Por volta do século X a utilização do açúcar na cozinha chega à Europa, alastrando-se assim a todo o mundo.
A Escola de Samba Costa de Prata vem em 2014 apresentar uma terra cheia de diversões, imaginações, cores, mas essencialmente cheia de….doces!

Da delícia das crianças, à salvação das mulheres, a dose diária de açúcar… Eles são tão bons que podem tornar-se um vício: Assim são os doces.
Um dos doces que causa as mais incríveis sensações, tanto nas crianças, como nos adultos é o Algodão Doce, que normalmente é fabricado pelo processo de trefilação de açúcar em máquinas especiais. É um doce formado a partir de açúcar cristalizado, comercializado em feiras, praças, circos, cinemas, ou seja, sempre numa perspectiva de venda ambulante.

É incerto a primeira pessoa a inventar o algodão doce mas sabe-se que o inventaram em 1897. Tem um aspeto visual de algodão possuindo normalmente a cor branca e rosa.

“ O Mundo é uma bola de algodão que está na nossa mão, e fica bem melhor se tu sorrires…”
Acredita-se que a elaboração de bolos exista desde o Egipto Antigo, na forma de pães adoçados com xarope de frutas. Os antigos gregos e romanos aperfeiçoaram-no e a real diferença entre os pães e os bolos só veio a ser concretizada durante o Renascimento. Os Bolos de Festas são um alimento à base de massa de farinha, geralmente doce e cozido no forno, sendo um dos componentes de festas, tais como aniversários e casamentos ocupando o lugar central da mesa.

A Goma é um doce gelatinoso muito comum em festas infantis. As gomas tal e qual como as conhecemos nos dias de hoje ganharam umas formas de ursinhos, minhocas ou outras tantas variedades e são a delícia de toda a criançada. Uma criança ao entrar numa loja de doces, nomeadamente de gomas, fica maravilhada com as cores, os sabores que todo o seu olhar proporciona.

Existem registos em que o açúcar endurecido era degustado com a ajuda de palitos na Idade Média. Assim nasceu o conceito de Chupas – Chupas, que deliciam os mais novos e os mais velhos, em puros momentos de prazer, lazer e descontracção, numa pausa deliciosa e doce! Como curiosidade, o actual logotipo da marca “Chupa-Chups”, o qual deu o nome ao doce que hoje conhecemos como chupa-chupa, foi desenvolvido por Salvador Dali, na segunda metade do século XX.

O Chocolate é um alimento feito com base na amêndoa fermentada e torrada do cacau. A origem do chocolate remonta às civilizações pré-colombianas da América Central que veio para a Europa, a partir da época dos descobrimentos, onde se popularizou especialmente a partir dos séculos XVII e XVIII. O cacau era considerado pelas civilizações Maia e Asteca o alimento dos deuses e trazia poder e sabedoria para quem o consumia. Contudo foi na Suíça que os grãos de cacaus torrados e moídos foram misturados ao leite e ao açúcar adquirindo assim o chocolate o sabor que conhecemos. O chocolate proporciona grandes sensações de prazer devido a uma substância chamada metilxantina que traz sensações de bem-estar. Estudos revelam que o chocolate supera o beijo na hora de causar uma sensação de prazer mais duradoura no corpo e no cérebro durando quatro vezes mais. Hoje em dia é encontrado em diferentes formas, que vão desde o sólido, como o chocolate em pó, os ovos, os bombons e em líquido, como achocolatado ou chocolate quente. É também ingrediente de bolos, musses, gelados e outros doces.

Os primeiros cones para gelados foram produzidos em 1896, contudo foi em 1904 que se popularizou primeiramente nos Estados Unidos, na Feira de Saint Louis. Desde aí é utilizado nos gelados / sorvetes para enriquecer o seu valor e o seu gosto, quando misturado com os sabores de cada gelado.

Uma guloseima pequena e doce que vem embrulhada num papel plástico colorido. O Rebuçado é normalmente vendido nas ruas e lojas de doces por um valor irrisório, sendo consumido de forma quase automática enquanto existem, no frasco, no bolso, na mala!

Ninguém sabe ao certo mas tudo indica que a pipoca nasceu na América há mais de mil anos. É feita a partir de uma variedade de milho quando aquecido. A pipoca já era vendida em feiras e parques nos Estados Unidos no Século XIX. No fim desse período surgiram os primeiros cinemas americanos e com eles vieram os ambulantes carregados com os saquinhos das mesmas.

O Gelado e/ou Sorvete é uma sobremesa gelada à base de lacticínios como leite ou nata, à qual é adicionada fruta e outros ingredientes de sabores. Os primeiros gelados foram desenvolvidos pelos chineses há mais de 3 mil anos misturando neve com fruta e mel. Contudo, consta que foi Marco Polo, viajante italiano do Século VIII, que introduziu o gelado na Europa como uma das maravilhas gastronómicas que tinha conhecido na China. A realeza e a aristocracia adotaram os gelados de fruta como um prato de luxo.

Aquilo a que actualmente chamamos de pastilha elástica remonta a civilizações antigas. Na Grécia era comum mastigar a resina de uma árvore chamada mastiche (ou Maastricht) com o intuito de lavar os dentes e melhorar o hálito. Já a civilização Maia mascava uma goma obtida de um látex que escorria de cortes de uma árvore conhecida como Aposta capotilho. Através dos índios, uma outra resina foi descoberta pelos colonos do território dos Estados Unidos da América que começaram a mascá-la. Foi no princípio do ano de 1800 que se iniciou a comercialização dessa resina mastigável sendo, no entanto, ultrapassada pela parafina adocicada aquando da sua descoberta.

Nos anos 60 do século XIX, Antonio Lopes de Santa Anna levou para a América do Norte uma resina cremosa a que chamavam chicle tendo- mostrada a Thomas Adams (fotógrafo e inventor nova-iorquino) que tentou vulcanizá-la, não sendo bem-sucedido. Posteriormente utilizou-as para o fabrico de pastilhas elásticas que se tornaram um verdadeiro sucesso. Mais tarde o seu sabor foi melhorado adicionando um pouco de licor o que se revelou do agrado dos clientes. Em finais do século XIX, princípios do século XX, surgiram outros fabricantes de pastilhas elásticas com destaque para Walter Diemer que criou com sucesso a pastilha elástica que permitia fazer bolas, a conhecida bubble gum.

A Segunda Grande Guerra contribuiu para o aumento da popularidade da pastilha elástica por todo o Mundo. Era considerada uma terapia relaxante para o stress de que as pessoas eram vítimas e também para evitar o congelamento do maxilar durante as emboscadas nocturnas. Com o aumento do consumo e consequente produção, os fabricantes tiveram que encontrar novos produtos que substituíssem as resinas naturais. Surgiram novos tipos (sem açúcar, com novas cores, novos sabores, novos formatos, etc.) e novas marcas de pastilhas.

Oito Cores: Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Lilás, Rosa e Castanho, estas são as cores das Pintarolas ou Smarties como chamamos hoje em dia. Fabricados desde 1937, os Smarties são um doce de açúcar revestido de chocolate de confeitaria, com as diversas cores. Tradicionalmente vendidos em tubos de papelão cilíndricos, tapado com uma tampa de plástico colorido, os Smarties são uma verdadeira diversão de comer e de desfrutar, num momento de brincadeira e de riso.

O creme de Chantilly surgiu na França, no castelo de Chantilly através de Fritz Carl Vatel. Vatel percebeu que o leite da região de Chantilly, onde o mesmo morava quando tinha 27 anos de idade, era mais gorduroso e, por esse motivo, mais adequado ao processo de “bater”. Dessa forma, Vatel passou a adicionar açúcar ao leite e com essa mistura obtia um creme viscoso. O doce criado por Vatel foi do agrado de todos tendo recebido o nome do castelo. O método de fazer o creme foi passado oralmente de geração em geração e apesar da receita não mudar cada cozinheiro/pasteleiro pode alterar as quantidades dos ingredientes de forma a ficar mais do seu agrado. É muito comum o uso do chantilly na confecção de tortas, bolos, gelados, etc.

Continuar a Ler

2013- “Trinta por uma linha”

No Carnaval 2013,
Pelas ruas de Ovar,
30 anos de existência.
Nos vamos comemorar;
São 3 décadas de sucessos,
Com algumas desilusões e muitas alegrias,
Sentimentos sempre expressos
Nas nossas fantasias.

É um mundo de imaginação;
De criação, de experiências e animação.
Um sem número de cores, tecidos, materiais
E outras coisas mais.

As “Bodas de Pérola” estamos a comemorar
E com as cores do arco-íris vamos criar,
Uma ponte de amizade e união,
Com todo o folião.

De vermelho e branco
Se pinta a bandeira
Da grande pioneira
Do samba de Ovar.

30porumalinha

E porque nestas três décadas já fizemos “30 por uma linha” para alegrar e colorir o Carnaval de Ovar, este é o tema escolhido, pela escola de samba Costa de Prata, para o Carnaval 2013.

A expressão que utilizamos para denominar o nosso tema é composta de «trinta» e «por uma linha». «Por uma linha» significa «a fio», «a eito», «a seguir» (como se estivesse a seguir uma linha, sem dela se afastar).  «Trinta» é um número não só associado a realizações humanas de alguma dimensão, de que são exemplo as expressões «estar com trinta sentidos» (que significa «estar muito atento»), ou “os trinta dinheiros” que Judas terá recebido por ter entregue Jesus aos seus inimigos.

Assim, «30 por uma linha» significa muitas coisas de seguida, a eito, sem parar eaplica-se a quem faz muitas coisas, todas de seguida, sem parar.

Foi há 30 anos, que nos tampos das mesas da antiga escola profissional, um grupo de amigos, apaixonados pelos ritmos brasileiros, produziam batucadas acabando por criar um projeto, que se tornaria mais tarde na Escola de Samba Costa de Prata.
O seu surgimento veio revolucionar o Carnaval vareiro, trazendo mais ritmo e novos instrumentos às ruas de Ovar.

Muitas são as histórias, as experiências, as alegrias, as tristezas, as inovações, os sambas-enredos, as fantasias e as alegorias que contam a história da pioneira.
Pretendemos, então, com a nossa maqueta, reviver os momentos de outrora, defender o presente e projetar o futuro da nossa Escola, que esperamos que seja feliz e duradouro.

À imagem do que foi, é e será a nossa Escola juntamos-lhe a simbologia do arco-íris.

Oarco-íris é um fenómeno óticoe meteorológicoque separa a luz do solna sua aparição contínua, quando o sol brilha sobre gotas de chuva.

É um ar multicolorido com vermelho no seu exterior e o violeta no interior; a sua ordem completa é vermelho que simboliza o orgulho; o cor de laranja representa a confiança; o amarelo que lembra o otimismo; o verde simbolizador da esperança; o azul que representa a lealdade; o anil significa fidelidade/dignidade e o violeta que representa o sucesso.

O seu nome provém da mitologia grega, onde Íris era uma deusa que exercia a função de mensageira divina. Na sua tarefa, a deusa deixava um rasto multicolorido ao atravessar os céus.

Segundo a religião, o arco-íris foi intitulado por Deus “arco-da-aliança”, pois logo após o Dilúvio, Deus prometeu que nunca mais iria inundar a Terra e depois de cada chuva o seu arco apareceria nas nuvens e este seria o símbolo da aliança estabelecida entre Deus e os Homens.

Nas culturas não europeias, o arco íris é visto como uma ponte que liga dois mundos e como um caminho, que conduz o Homem da Terra ao Céu.

É assim, juntando a nossa história e a nossa essência à alegria das cores do arco íris que vamos desfilar no carnaval 2013, festejando com quem nos vê, as nossas “Bodas de Pérola”.

Comissão de frente – “A nossa festa”, esta ala apresentará a nossa festa.

Mestre Sala e Porta Bandeira – “A nossa bandeira” casal que apresenta e exibe orgulhosamente aquele que é o símbolo máximo da nossa escola, desta vez a representar a própria bandeira.

Baianas – “ O arco íris ” Estas representarão o arco-íris que nos serviu de inspiração. A alegria das suas cores será espalhada por toda a escola.

1ª ala – “Passado” Esta ala representa aquilo que fomos, a nossa história que muito nos orgulha.

Destaques de chão – “As nossas cores” De vermelho e branco se pinta a nossa bandeira, são estas as cores que as nossas destaques irão representar.

Passistas – “O malandro” os nossos passistas representarão uma figura carioca típica que foi imortalizada pelas letras do samba.

2ª ala – “Presente” Esta ala simbolizará a energia contagiante da jovialidade da nossa escola.

3ª ala – “Futuro” Com esta ala pretendemos representar o futuro, a história que ainda está por vir e que esperamos que seja repleta de sucessos.

Madrinha da bateria – “Samba Enredo” Sendo nós a primeira escola de samba de Ovar a desfilar ao som de Sambas enredo originais, consideramos ser esta uma das muitas marcas do nosso percurso.

Bateria – “O amor à camisola” E como o que nos move é o “amor à camisola” será este o símbolo do fato da nossa bateria.

Destaques de carro – “Costa convida” É em datas lembradas como esta, que lembramos o passado, vivemos o presente e projetamos o futuro; pelo que decidimos convidar associados e ex-associados que deixaram o seu cunho e contribuíram para a história da Escola de Samba Costa de Prata para realizar um fato.

 

30

 

Continuar a Ler